OBatuque - Mostrando itens por tag: Luis Leite

Sala de Recepção apresenta live com o percussionista Marcos Esguleba

Publicado em A Voz do Samba
Sexta, 22 Maio 2020 14:41

Por Luis Leite

O programa Sala de Recepção fará na próxima terça-feira (26), a partir das 20h30, uma live especial com o percussionista Marcos Esguleba. A transmissão será realizada na página do Facebook Raiz do samba.

Com mais de 30 anos de carreira, um dos músicos mais requisitados no Brasil, Esguleba já gravou com grandes cantores da música brasileira, entre eles Roberto Carlos, Alcione, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Elza Soares, Beth Carvalho e Zeca Pagodinho.

Vitinho é o novo diretor de bateria do Império Serrano

Publicado em Série A
Quarta, 20 Maio 2020 15:02

Por Luis Leite

Vitor Cezar, filho do lendário mestre Faísca, é o novo diretor de bateria do Império Serrano. Vitinho assume o lugar do mestre Gilmar, que deixou o comando da Sinfônica do Samba na última segunda-feira (18).

Confira a nota da escola:

Em sua essência, o Império Serrano sempre priorizou a base familiar como principal pilar de suas tradições, e um dos principais exemplos disso é a linha de sucessão no comando da Bateria Sinfônica do Samba.
Em 1950, o Mestre Alcides Gregório assumiu a Bateria do Império Serrano após a morte do Mestre Bita, comandando a Sinfônica por sete carnavais. A partir de então, seu filho, que viria a ser conhecido como Mestre Faisca, passou a ter uma convivência estreita com todos os instrumentos de percussão. Em 1984, aos 16 anos de idade, Faisca fundou a Bateria da Escola Mirim Império do Futuro, antes de se tornar Diretor da Sinfônica e ganhar o Estandarte de Ouro como revelação dois anos depois.

Como um fruto não cai longe do pé, a Bateria do Império do Futuro, fundada anos antes pelo Mestre Faisca, foi o palco do início da caminhada de seu filho Vitinho, que desfilou como ritmista, sob o comando do Pretinho da Serrinha entre 1996 e 1999. Entre os anos de 2014 e 2016, Vitinho desfilou como ritmista na Sinfônica.

Assim como para todo imperiano de coração, o Império Serrano é para o Mestre Vitinho, uma escola de família, de raiz, de tradição. Principalmente por isso, e por toda a competência que tem demonstrado no mundo do samba todos esses anos, o Mestre Vitinho vai buscar dar seguimento com excelência ao trabalho de seu avô, Mestre Alcides Gregório, do seu pai, o Mestre Faisca, além de tantos outros como mestre Birão, Vanderlei, Silvio Manoel, Alcides Gregório, Macarrão, Átila Gomes, ciente da extrema responsabilidade e entendendo que a estrela maior é a Coroa Imperial.

Este dia 20 de maio de 2020 é bastante especial para o Império Serrano e toda a Nação Imperiana, além do mundo do samba, pois estamos presenciando um fato histórico e jamais visto no Carnaval Carioca. A partir desta data, oficialmente, o Mestre Vitinho é o novo Mestre de Bateria da Sinfônica do Samba do Império Serrano, e nossa bateria se torna a primeira a ser comandada por três gerações, pai, filho e avô, na história do Maior Espetáculo da Terra!

 

Morre o radialista e produtor Alpa Luiz

Publicado em A Voz do Samba
Terça, 19 Maio 2020 20:30

Por Luis Leite

Morreu nesta terça-feira (19), aos 78 anos, vítima de complicações renais, o radialista e produtor Alpa Luiz. Ele estava internado no CTI do hospital CPN, em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Alpa trabalhava na Rádio Roquette Pinto e por muitos anos, comandou o programa "Batida de Samba" na 1440 AM.

As informações sobre o velório e sepultamento ainda não foram divulgadas.

Mestre Gilmar não é mais diretor de bateria do Império Serrano

Publicado em Série A
Segunda, 18 Maio 2020 16:11

Por Luis Leite

Após uma década à frente da bateria do Império Serrano, mestre Gilmar Cunha não é mais o comandante da Sinfônica do Samba.

Em nota divulgada no Facebook, Gilmar se despediu com a sensação de dever cumprido. O sambista ressaltou ainda a sua trajetória, quando começou na escola com apenas 11 anos de idade e agradeceu a todos os segmentos e em especial à própria agremiação por.

Confira:

“Em respeito aos anos que estive como mestre de bateria do Império Serrano venho informar meu desligamento da escola.

Não sou mas o mestre de bateria da sinfônica do samba do Império Serrano.

Minha trajetória começou aos 11 anos, e assumindo o comando da bateria aos 31 anos, todos esses anos me trouxe uma bagagem de vida maravilhosa.

Peço meu muito obrigado a todos que me apoiaram e a todos que também não apoiaram por que de uma forma ou outra estava me incentivando a sempre pensar em melhorias.


A todos os segmentos e todos os amigos, meu MUITO OBRIGADO.

O ciclo da vida é assim, uma hora tem que terminar, e a hora do Gilmar Cunha no Império Serrano terminou.


Meu muito obrigado ao reizinho de Madureira, se hoje muitos conhecem o Gilmar Cunha é por conta dessa grande agremiação.


Muito obrigado Império Serrano”.

Incêndio atinge barracão da Acadêmicos do Sossego na Avenida Brasil

Publicado em Série A
Sábado, 16 Maio 2020 12:10

Foto e texto: Luis Leite

Um incêndio de grande proporção atingiu na manhã deste sábado(16), o barracão de alegorias da escola de samba Acadêmicos do Sossego em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio.

O galpão fica na Avenida Brasil, próximo ao Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), na pista lateral, sentido Centro.

Uma guarnição do Corpo de Bombeiro, que passava pelo local, conteve as chamas que queimaram totalmente as três alegorias que a escola utilizou no Carnaval 2020.

A agremiação ressalta que não houve vítimas e lamenta o ocorrido, e embora ainda não se tenha uma precisão de todo prejuízo, estima-se que o valor gire em torno de R$200 mil. A diretoria informa, ainda, que câmeras de segurança do local serão entregues às autoridades.

DSC 0076

Sambista Mauro Diniz recebe alta hospitalar após ser internado com coronavírus

Publicado em Samba de Raiz
Terça, 12 Maio 2020 14:02

Por Luis Leite

O cantor, compositor e cavaquinista Mauro Diniz, de 68 anos, filho de Monarco, presidente de honra da Portela, recebeu alta médica na manhã desta terça-feira (12), após ter se recuperado do novo coronavírus.

O sambista estava  internado desde o dia 4 de maio, com os sintomas da covid-19, no CTI do Hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Clique no link abaixo e veja o vídeo do Mauro Diniz deixando o hospital, ao lado da família.

https://www.youtube.com/watch?v=R7X0-rKu3NY

Morre o compositor e escritor Aldir Blanc

Publicado em Grupo Especial
Segunda, 04 Maio 2020 09:30

Por Luis Leite

Morreu na madrugada desta terça-feira(04), o compositor e escritor Aldir Blanc, aos 73 anos, em decorrência do novo coronavírus. Ele estava internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio.

No dia 10 de abril, Aldir deu entrada na CER do Leblon com um quadro de pneumonia, pressão alta e infecção urinária. Uma semana depois, foi diagnosticado com a Covid-19.

Aldir Blanc Mendes nasceu no dia 02 de setembro 1946, no bairro do Estácio, berço do samba do Rio. Em 1966, ingressou na Faculdade de Medicina, especializando-se em psiquiatria. Em 1973, abandonou a medicina, passando a se dedicar exclusivamente à música.

Notabilizou-se como letrista a partir das parcerias com João Bosco, compondo músicas como "Bala com Bala" (sucesso na voz de Elis Regina), "O Mestre-Sala dos Mares", "De Frente Pro Crime" (sucesso na voz de Simone) e "Caça à Raposa".

Uma das canções mais conhecidas, em parceria com João Bosco, é "O Bêbado e a Equilibrista", lançada em 1979, que se tornou um hino contra a ditadura militar, também tendo sido gravada por Elis Regina.  Em um de seus versos, "sonha com a volta do irmão do Henfil", faz-se referência ao cartunista Henrique de Sousa Filho, o qual na época tinha um irmão, o sociólogo Betinho, em exílio político no exterior.

Em 1968, compôs com Sílvio da Silva Júnior "A noite, a maré e o amor", música classificada no III Festival Internacional da Canção (TV Globo).

No ano seguinte, classificou mais três canções no II Festival Universitário da Música Popular Brasileira: "De esquina em esquina" (com César Costa Filho), interpretada por Clara Nunes; "Nada sei de eterno" (com Sílvio da Silva Júnior), defendida por Taiguara; e "Mirante" (com César Costa Filho), interpretada por Maria Creuza.

Em 1970, no V Festival Internacional da Canção classificou-se com a composição "Diva" (com César Costa Filho). Neste mesmo ano, despontou o primeiro grande sucesso, "Amigo é pra essas coisas" em parceria com Sílvio da Silva Júnior, interpretado pelo grupo MPB-4, com o qual participou do "III Festival Universitário de Música Popular Brasileira".

A canção "Nação" (com João Bosco e Paulo Emílio) foi gravada em 1982 no disco de mesmo nome e foi um grande sucesso na voz de Clara Nunes.

Blanc também é autor, com Cleberson Horsth, da canção "A Viagem", sucesso gravado pela banda Roupa Nova e tema da novela com o mesmo nome, sucesso em 1994.

Em 1996 foi gravado o disco comemorativo Aldir Blanc - 50 Anos, com a participação de Betinho ao lado do MPB-4 em "O Bêbado e a Equilibrista" no disco comemorativo. Esse disco apresenta diversas outras participações especiais, como Edu Lobo, Paulinho da Viola, Danilo Caymmi e Nana Caymmi. O álbum demonstra, também, a variedade de parceiros nas composições de Aldir, ao unir suas letras às melodias de Guinga, Moacyr Luz, Cristóvão Bastos, Ivan Lins e outros.

Outro parceiro notável é o compositor Guinga, com quem fez, dentre muitas outras, "Catavento e Girassol", "Nítido e Obscuro" e "Baião de Lacan".

Também em 1996, Leila Pinheiro lançou o disco Catavento e Girassol, exclusivamente com canções da parceria de Aldir Blanc com Guinga. No disco há uma homenagem a Hermeto Pascoal, com a música "Chá de Panela", que diz que "foi Hermeto Pascoal que, magistral, me deu o dom de entender que, do riso ao avião, em tudo há som".

Em 2000, participou como convidado especial do disco do compositor Casquinha da Portela, interpretando a faixa "Tantos recados" (Casquinha e Candeia).

Publicou, em 2006 o livro Rua dos Artistas e transversais (Editora Agir), que reúne seus livros de crônicas Rua dos Artistas e arredores (1978) e Porta de tinturaria (1981), e ainda traz outras 14 crônicas escritas para a revista Bundas e para o Jornal do Brasil.

 

Antônio Miranda e Rosangela Vieira são os novos diretores de Harmonia da Praça da Bandeira

Publicado em Série B
Segunda, 04 Maio 2020 10:46

Por Luis Leite

Reforçando sua equipe para o próximo carnaval, o G.R.E.S Independente da Praça da Bandeira anunciou seus novos diretores de Harmonia para 2021.

Antônio Miranda e Rosangela Vieira assumem o segmento com objetivo de fazer um grande trabalho em busca de conquistar as notas máximas em seu quesito.

A dupla já fez parte da direção da escola de samba União de Vaz Lobo.

Incêndio atinge barracão da Viradouro na Cidade do Samba

Publicado em Grupo Especial
Quinta, 30 Abril 2020 10:27

Por Luis Leite

Um incêndio atingiu, no início da manhã desta quinta-feira (30), o barracão da Unidos do Viradouro, na Cidade do Samba, na Gamboa, Zona Portuária do Rio. Bombeiros do Quartel Central foram acionados, e as chamas foram rapidamente controladas. Não houve feridos.

O fogo começou em uma alegoria e atingiu o terceiro andar do barracão, onde fica a parte administrativa da escola.

Segundo a direção da Vermelho e Branco de Niterói, ainda não contabilizou os prejuízos, o que só poderá ser feito após a liberação do local pelos bombeiros.

A Unidos do Viradouro é a atual campeã do carnaval carioca com o enredo "Viradouro de Alma Lavada", em homenagem às Ganhadeiras de Itapuã.

DSC 0368Um carro alegórico, metade de um tripé e o terceiro andar foram destruídos pelo fogo

DSC 0396

Bombeiros fazendo o trabalho de rescaldo no local do incêndio

Morre o cantor e compositor Rico Medeiros

Publicado em Grupo Especial
Sexta, 24 Abril 2020 17:57

Por Luis Leite

Morreu na tarde desta sexta-feira(24), aos 80 anos, o cantor e compositor Rico Medeiros um dos grandes Baluartes do carnaval carioca. Ele estava internado no hospital Universitário Antônio Pedro, em Niterói, devido a uma infecção urinária e a problemas relacionados ao diabetes.  Não há informações sobre velório e sepultamento.

Nascido em Niterói, Rico começou sua trajetória no mundo do samba na Estação Primeira de Mangueira. Além de ser cantor “de meio de ano”, gravou um disco pela gravadora RCA Victor com o sucesso “Blusa Amarela”, de sua autoria em parceria com Moacyr M.M. Participou de vários programas de calouros na TV como o Cassino do Chacrinha, Carlos Imperial, Jair de Taumaturgo, César de Alencar entre outros, sendo o primeiro colocado em todos. 

No ano 1978, passou a ser a voz oficial do Acadêmicos do Salgueiro, onde permaneceu como intérprete por muito anos. Passou também pelas agremiações Lins Imperial, Baixada do Morro de Guaratinguetá, Imperatriz Leopoldinense, Unidos do Viradouro, Souza Soares e Acadêmicos da Pedreira de Belém do Pará. Dono do bordão "Nossa Senhora", o cantor criou o alusivo no samba. Como político, foi vereador em São Gonçalo-RJ entre 1982 e 1988.

Página 1 de 16

 

 

Entrevistas

Cantor e compositor Rico Medeiros: "Nossa Senhora!"

Cantor e compositor...

Por Luis Leite Nascido em Niterói, Nilzo Medeiros, popularmente conhecido como...

Luiz Carlos Bruno: “Quero voltar a trabalhar para fechar o portão com sabor de dever realizado”

Luiz Carlos Bruno:...

Por Ricardo MaiaFotos: arquivo pessoal A paixão de Luiz Carlos Bruno...

Juarez Carvalho, o Titio das baianas da Tijuca

Juarez Carvalho, o...

Por Ricardo Maia Desde 1999 na Unidos da Tijuca, Juarez Carvalho...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

Pagode

Carnaval pelo Brasil

Ex Panicat Tânia Oliveira é a nova Madrinha de Bateria da Acadêmicos do Tucuruvi

Ex Panicat Tânia Oliveira é a nova Madrinha de Bateria da Acadêmicos do Tucuruvi

Na noite deste sábado (23), a escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi, abriu as ...

 

icone instagram

Book OBatuque

Extras

fotos

JoomShaper