OBatuque - Temporal, emoção, superação e falta de respeito à Ala de Baianas do Império marcam primeiro dia de desfiles da Série A

Temporal, emoção, superação e falta de respeito à Ala de Baianas do Império marcam primeiro dia de desfiles da Série A Destaque

Publicado em Grupo Especial
Sábado, 22 Fevereiro 2020 08:14
Vigário Geral abre desfiles com críticas ao presidente Jair Bolsonaro Vigário Geral abre desfiles com críticas ao presidente Jair Bolsonaro

Por Luis Leite e Danndara Kyzy

Fotos: Luis Leite

A primeira escola da noite a abrir os desfiles do Carnaval 2020 da Série A, nesta sexta-feira (21), foi a Acadêmicos de Vigário Geral. A escola, depois de 20 anos, retornou à Marquês de Sapucaí com o enredo “O Conto do Vigário”, que retrata o cenário político de enganação no Brasil, além de acontecimentos históricos, como a farra dos guardanapos, voto de cabresto, a política café com leite, entre outros assuntos.

Mais de mil palhaços no salão

IMG 20200222 WA0006

A agremiação trouxe em sua última alegoria um palhaço de terno com uma faixa presidencial, fazendo referência ao famoso gesto do presidente Jair Messias Bolsonaro: com se estivesse com uma arma na mão.  Logo atrás veio a ala do Bloco de sujo, representando contra o descaso do poder público.

DSC 0236

Segunda escola a pisar no Passarela do Samba foi a Acadêmicos da Rocinha. Com fantasias leves e de fácil leitura, a agremiação trouxe o enredo "A Guerreira negra que dominou os dois mundos", que contou a história de Maria da Conceição, uma escrava do Congo, trazida para o Brasil, onde se consagrou como a guerreira Maria Conga. A escola apresentou problemas com a última alegoria, deixando um enorme buraco na pista, comprometendo assim a evolução.

DSC 0504

Logo a seguir, a Unidos da Ponte, que trouxe para avenida o enredo "Elos da Eternidade", com um tema complexo, propôs uma reflexão sobre a relação da humanidade e a preservação do samba. Algumas alegorias estavam prejudicadas, inclusive o carro abre-alas, que estava com algumas partes mal acabadas. A cabeça da escultura, que representava o Zeus, estava bastante danificada e quase caindo.

DSC 0488

A escola teve problemas com a falta de fantasias, inclusive deixando para trás componentes, na área de concentração, sem condições de desfilarem.

DSC 0706

A quarta escola, a Unidos de Porto da Pedra, homenageou as tradicionais ala das baianas. Assim como seu enredo "O que a Bahia tem? Do Bonfim à Sapucaí", a agremiação, que contou com subsídio financeiro da prefeitura de São Gonçalo, passou como uma das melhores da noite, com alegorias e fantasias muito bem construídas e luxuosas. Apesar de problemas na manobra dos dois primeiros carros para entrar no Sambódromo, a harmonia e a evolução da escola não foram tão prejudicados.

DSC 0857

Na sequência, a Acadêmicos do Cubango, vice-campeã do Carnaval 2019, da Série A, contou a história do patrono da Abolição da Escravatura, Luiz Gama Filho.  A comissão de frente representou os escravos nos tribunais na luta pela liberdade. A coreografia chamou a atenção pela excelente performance.

Logo no início do desfile, as duas partes do chassis do abre-alas desacoplaram e passaram separadas em frente à primeira cabine de jurados, gerando um enorme buraco ao logo do desfile.

Apesar desses problemas, a Verde e Branco de Niterói, que trouxe o enredo “A voz da liberdade”, fez um bom desfile.

DSC 0109

Penúltima escola do dia, a Renascer de Jacarepaguá apostou na sabedoria e na fé das benzedeiras com o enredo “Eu te benzo, Deus te cura”. Apesar de menos luxuosa desfilou com um dos melhores sambas da Série A.

A Vermelho, Branco e Amarelo de Jacarepaguá fez um desfile compacto de forma equilibrada.  A obra composta por Cláudio Russo, Diego Nicolau e Moacyr Luz embalou os componentes da agremiação.

DSC 0422

Sem saias Império Serrano não rodou a baiana

Encerrando os desfiles do primeiro dia da Série A, a tradicionalíssima Império Serrano talvez tenha feito o pior desfile de sua história. A escola do Morro da Serrinha vive uma crise política-financeira. Quase todos os segmentos tiveram problemas. A Ala das Baianas desfilou sem as saias rodadas, apenas com a parte superior. Os ritmistas e figurinos com fantasias incompletas, faltando chapéus e sapatos. As alegorias estavam comprometidas com falhas de acabamento e com o sistema de iluminação apagado, sem contar os problemas em harmonia e evolução.

Inexplicavelmente, com todos os problemas visíveis, o Império, com 6 minutos no cronômetro, não havia cruzado a linha inicial do desfile, o carro abre-alas apresentou problemas técnicos.

Não precisava ser especialista para perceber que haveria uma correria no final. Não houve jeito: desespero, choro e falta de respeito com a Ala de Baianas marcaram o desfile da Império Serrano, que provavelmente será uma das escolas rebaixadas para a Série B.

20200222 051251 scaled

 
  

Última modificação em Quinta, 05 Março 2020 12:19

Itens relacionados (por tag)

  • Amigos e familiares dão último adeus a Luizinho Drummond

    Por Luis Leite

    O sepultamento do presidente da Imperatriz Leopoldinense, Luiz Pacheco Drummond, foi realizado na manhã desta quinta-feira (2), no Cemitério de Inhaúma, Zona Norte do Rio.

    Luizinho Drummond, morreu aos 80 anos, após sofrer um AVC na última terça-feira (30).

    Mesmo com restrições por conta da pandemia do novo coronavírus, o velório reuniu amigos, familiares e integrantes da Imperatriz, além do presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, e outros dirigentes da entidade para prestarem as últimas homenagens.

  • Luto no samba: morre Luiz Pacheco Drummond, presidente da Imperatriz

    Por Luis Leite

    Morreu na manhã desta quarta-feira (1º), aos 80 anos, vítima de um aneurisma cerebral, o presidente de honra da Imperatriz Leopoldinense, Luiz Pacheco Drummond.

    Luizinho estava internado no Hospital Copa Star, em Copacabana, Zona Sul do Rio, após sofrer um AVC na última terça-feira (30).

    O sambista assumiu o comando da escola em 1975, dando início a sua trajetória na Verde e Branco de Ramos.  Além de Sócio-Fundandor da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), também exerceu o mandato de presidente da Entidade no período de 1998 a 2001.

    As informações sobre o velório e sepultamento ainda não foram divulgadas.

    Por meio das redes sociais a Imperatriz Leopoldinense lamentou a morte do patrono. Confira:

    “1 de julho de 2020.

    Hoje, infelizmente, viemos veicular a notícia mais triste que poderíamos trazer.

    Faleceu hoje, nosso Presidente e Patrono, Luiz Pacheco Drumond.

    A tristeza invade nossos corações, ele que lutou incansavelmente por nossa escola por toda sua vida, que doou todo seu esforço em prol de uma comunidade. Se hoje a Imperatriz é uma escola grande e de destaque, devemos a ele.

    Hoje, chora todo o mundo do samba, com a perda de um dos nomes mais importantes de todo o carnaval.

    Luizinho, tenha certeza que sua presença está muito mais vida dentro de cada um de nós!

    A Imperatriz TE AMA!”


        
        
      

  • Presidente da Imperatriz Luizinho Drummond é internado após sofrer um AVC

    Por Luis Leite

    O presidente de honra da escola de samba Imperatriz Leopoldinense, Luiz Pacheco Drummond, de 80 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), nesta terça-feira (30), e o estado de saúde é considerado grave.

    Luizinho foi levado de helicóptero para o Hospital Copa Star, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, onde permanece internado, após passar mal em casa.

    A agremiação usou as redes sociais para pedir orações a Luizinho Drummond:

    "Mais uma vez precisamos nos unir em corrente de oração. A Imperatriz Leopoldinense pede sua oração neste momento, independente de religião e credo. Todos juntos emanando boas energias em prol de nosso presidente Luiz Pacheco Drumond, que neste momento se encontra internado.

    Todos nós estamos em oração por ti, nosso Presidente. A fé é nossa companheira!"

     

     

     

 

 

Entrevistas

Cantor e compositor Rico Medeiros: "Nossa Senhora!"

Cantor e compositor...

Por Luis Leite Nascido em Niterói, Nilzo Medeiros, popularmente conhecido como...

Luiz Carlos Bruno: “Quero voltar a trabalhar para fechar o portão com sabor de dever realizado”

Luiz Carlos Bruno:...

Por Ricardo MaiaFotos: arquivo pessoal A paixão de Luiz Carlos Bruno...

Juarez Carvalho, o Titio das baianas da Tijuca

Juarez Carvalho, o...

Por Ricardo Maia Desde 1999 na Unidos da Tijuca, Juarez Carvalho...

Escolas Mirins

Intérpretes mirins promovem live solidária nesta segunda-feira

Intérpretes mirins promovem live solidária nesta segunda-feira

Por iniciativa de um grupo de cantores das escolas de samba mirins, a Aesm-Rio promoverá ...

Samba de Raiz

Pagode

Morre Gegê Nazaré, do grupo Razão Brasileira

Morre Gegê Nazaré, do grupo Razão Brasileira

Por Luis Leite Faleceu na última segunda-feira (15), aos 61 anos, o ex-integrante do gru...

Carnaval pelo Brasil

Ex Panicat Tânia Oliveira é a nova Madrinha de Bateria da Acadêmicos do Tucuruvi

Ex Panicat Tânia Oliveira é a nova Madrinha de Bateria da Acadêmicos do Tucuruvi

Na noite deste sábado (23), a escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi, abriu as ...

 

icone instagram

Book OBatuque

Extras

fotos

JoomShaper