Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

Márcio Alexandre Pinheiro Duarte,o Pelé da Vila Isabel

Publicado em Grupo Especial
Quinta, 21 Junho 2018 22:50

Por Luis Leite

Fotos: Arquivo pessoal

Márcio Alexandre Pinheiro Duarte, de 46 anos, é advogado, mora no Centro da cidade do Rio de Janeiro, é cria do bairro de Vila Isabel e torcedor da escola de Noel.

A sua vida como ritmista começou na Alegria da Passarela do Salgueiro, em 1987, com mestre Robinho, um dos filhos de Almir Guineto. Conheceu mestre Trambique, da Vila, e se aprimorou com os outros instrumentos.

IMG 20180605 WA0100 2“Minha formação rítmica começou com um repique, com o mestre Robinho, da Alegria da Passarela do Salgueiro, em 1987. Robinho era filho de Almir Guineto, e em 1989 fui apresentado ao mestre Trambique, da Vila Isabel, que fez aprimorar nos demais instrumentos de bateria. Hoje, gosto mais do tarol, mas toco todos os instrumentos de bateria”, explicou Márcio Alexandre.

Com a evolução e a exigências das paradinhas, Márcio salienta não ser a favor das bossas, pois segundo ele, elas atrapalham o desenvolvimento do samba, no entanto aponta a paradinha da Vila, em 2006, nas mãos de mestre Mug, como uma das melhors, quando a escola se sagrou campeã daquele ano: “Avalio as (paradinhas) atuais muito longas e de pouco impacto e contribuição para o samba. Na minha humilde opinião, elas atrapalham o desenvolvimento do samba, a evolução e o espetáculo. Apesar disso, a paradinha que eu gostei aconteceu em 2006, quando fui campeão pela Vila Isabel, tocando centrador microfonado na avenida (surdo de terceira) com mestre Mug à frente da bateria, e tiramos a nota máxima. Por outro lado, destaco como desfile impecável o do mestre Wallan, da Vila Isabel, ano retrasado, em todos os aspectos rítmicos e sonoros”.

IMG 20180605 WA0101Diferentemente de boa parte dos ritmistas que já passaram por diversas escolas, Pinheiro, ao longo de vários carnavais, desfilou em poucas escolas de samba. Uma delas não poderia deixar de ser a sua escola de coração: a Vila Isabel. “Só desfilei pela minha escola de coração, a Unidos de Vila Isabel, mas já desfilei no passado a convite de grandes amigos conquistados no mundo do samba, como por exemplo Caprichosos de Pilares, do mestre Paulo Renato; Tradição, do mestre Dacopê; Arranco, do mestre Pica Pau. Atualmente só desfilo na minha Vila Isabel”, destacou Márcio.
Fã de mestre Mug, Peri, Godô, Mauro Buriti e Vermelho, Márcio faz suas orações para Jesus Cristo abençoar o seus “irmãos” da Vila para que dê tudo certo durante os preparativos que antecedem o desfile na avenida. Para o futuro, Márcio planja dar prosseguimento à sua profissão de advogado, contudo aposta na profissionalização dos ritmistas: “Meus projetos por hora estão fincados na minha profissão de advogado. Porém, entendo que a profissionalização dos ritmistas seja plausível, mediante os exaustivos ensaios de quadra e de rua, dedicação e gastos financeiros. Ao ensejo, encerro saudando todas as baterias de escolas de samba e aproveito a oportunidade para agradecer por este espaço, para expor nossas ideias no âmbito das baterias de escola de samba”.

Grupo Dose Certa na feijoada da Unidos da Tijuca

Publicado em Grupo Especial
Quinta, 21 Junho 2018 22:34

No domingo, 24, a partir das 13h, o grupo de samba Dose Certa volta a se apresentar no Rio e será uma das atrações da ‘Feijoada Nota 10 do pagode do mestre’, no ‘Retrô anos 90’, na quadra da Unidos da Tijuca, no bairro da Leopoldina. No evento, organizado pelo Mestre Casagrande, diretor de bateria da escola, também terá apresentação do cantor Salgadinho, ex- vocalista da banda Katinguelê, que fez muito sucesso, na época.

No repertório do show do Dose Certa, estará a música “Verão pra te aquecer”, que consagrou o grupo e fez parte da trilha da novela “Rock Story”, da TV Globo, no ano passado, além de clássicos do samba em uma homenagem a grandes artistas, como Cartola, Nelson Cavaquinho, Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, entre muitos outros. O público que for à quadra da Tijuca, também terá a oportunidade de ouvir a atual de trabalho, ‘Solteirice’, que teve a participação do cantor Alexandre Pires (https://www.youtube.com/watch?v=jXOoM5D7nr8&feature=youtu.be) e eles acabaram de gravar, juntos, o clipe, com previsão de lançamento para agosto.

Entre os integrantes do Dose Certa, está Alemão do Cavaco, um dos compositores do samba da Mangueira, nesse último carnaval e o campeão, em 2016, em homenagem à cantora Maria Bethânia, e diretor musical da escola. Além disso, há quatro anos, é comentarista da transmissão do desfile das escolas de São Paulo, pela TV Globo.

Além dele, o grupo é formado por Serginho Picciani (vocalista), Vitor Da Candelária (percussão), Vinicius Almeida (contrabaixo e violão) e o mais novo integrante, Jonnata Lima (vocal e banjo), ex-participante do ‘The Voice Brasil’, em 2015.

A abertura do evento será com a banda Swing Carioca.

Serviço:

‘Feijoada Nota 10 do pagode do mestre’ - ‘Retrô anos 90’

Shows do grupo Dose Certa e dos cantores Leandro Lehart e Salgadinho.

Abertura – Banda Swing Carioca

Dia – Domingo – 24/06

Horário - A partir das 13h

Valores:

Antecipado – R$20

Na hora – R$25

Vendas online: https://www.ingressocerto.com/feijoada-nota-10-retro-anos-90

Mesa na área vip – R$160,00 para quatro pessoas

Camarote inferior para 10 pessoas – R$350,00

Camarote superior para 10 pessoas – R$400,00

Informações: (21) 98277-1197 / 98165-1753 / 97105-6468

Vizinha Faladeira divulgará enredo e equipe neste sábado

Publicado em Série B
Quinta, 21 Junho 2018 22:24

A Vizinha Faladeira dará o pontapé oficial rumo ao Carnaval 2019 no próximo dia 23 de junho, a partir das 16 horas, com a realização de grande festa para o lançamento do seu enredo. Na ocasião, a Pioneira do Samba apresentará sua nova equipe de Carnaval 2019, com a participação e apresentação de todos os segmentos da escola. A animação ficará por conta do grupo Pegada Brasileira e Chacal do Sax, ambos tocando grandes sucessos.
A agremiação será a sétima escola a desfilar na Estrada Intendente Magalhães, pela Série B, no Carnaval de 2019.

Serviço:
Evento: Lançamento do enredo Carnaval 2019
Dia: 23 de junho (sábado)
Horário: 16 horas
Atrações: Grupo Pegada Brasileira e Chacal do Sax
Entrada: Franca
Local: Rua Nabuco de Freitas, 19, Santo Cristo

Tradição divulga enredo e resultado do concurso de samba de quadra

Publicado em Série B
Quarta, 20 Junho 2018 16:26

A Tradição já tem seu enredo para o Carnaval 2019. No último sábado, dia 16, a presidente Raphaela Nascimento divulgou o tema que a azul e branco levará à Intendente Magalhães: "Gira, baiana. Salve as mães do samba!, que será desenvolvido pela comissão de carnaval formada por Samuel Gasman, Adenil Silva, Livinha Pessoa, Leandro Valente e Maurício Silva. Antes da divulgação, foi apresentado um vídeo explicando a narrativa do enredo, que terá sua sinopse divulgada em 28 de agosto.
A tarde foi animada pelo grupo Jet Samba Black, que apresentou vários sucessos no Cozido da Tradição. Após o show, os diretores da ala de compositores, José Lima e Alex Araújo, convidaram os jurados do concurso de samba de quadra para que sentassem à mesa: Igor Leal, Enzo Belmonte, Rhodrigo Nascimento, Celino Dias, Livinha Pessoa e Marquinhos Silva. Cada parceria, em apresentação feita após sorteio da ordem, pôde mostrar sua composição com duas passadas sem bateria e três com a Explosão de Elite, sob o comando de mestre Beto Peçanha.
O resultado foi divulgado após as apresentações. O primeiro lugar ficou com a parceria dos compositores Bruno Serrinho, Guto Listo e Rodrigo Medeiros; em segundo, a parceria de Marcio de Deus, William do Salão e Jorginho Moreira; e em terceiro, a parceria de Meri de Liz, Simone Lyns e Claudinho DVD.

Luis Claudio Tavares, o Tio Luis do tamborim

Publicado em Grupo Especial
Sexta, 15 Junho 2018 11:54

Por Luis Leite

Fotos: Arquivo pessoal

Luis Claudio Tavares começou a tocar tamborim em 1994, no Arranco do Engenho de Dentro. Portelense de coração, Luis divide a vida de ritmista trabalhando como motorista de Uber. Aos 55 anos, ele já desfilou por diversas escolas de samba e foi diretor de tamborim na Caprichosos de Pilares, onde permaneceu por 6 anos. Hoje, desfila somente pela Portela.

Além do tamborim, Luis Claudio toca caixa e surdo de marcação. Como referência, ele idolatra o saudoso mestre Marçal; tem o Dinamite como um dos melhores diretores de tamborim da Portela, nos anos 90; e Thalita Santos Souza como um dos melhores ritmistas de tamborim.

image3Ao longo dos anos Luis participou de diversos desfiles e de diversas bossas, no entanto aponta o desfile da Beija-Flor, em 1998, como o desfile impecável, e a paradinha da Império de Tijuca, em 2010, como a melhor que ele participou. Mesmo assim, Luis acredita que as ousadias atrapalham as baterias, todavia admira seus criadores: “Hoje em dia com a evolução natural do samba, elas fazem parte da bateria. Às vezes, acho que são muito rebuscadas demais, atrapalhando o andamento da bateria, ora retornando abaixo, ora voltando acima, mas admiro seus criadores”.

Com vasta experiência no currículo, Tavares trabalha como instrutor do projeto Tamborim Sensação. Tocar e ensinar o instrumento é a sua arte, como ele mesmo diz. Luiz ressalta também a nova geração de ritmistas e se considera satisfeito com a perpetuação do tamborim. “Comecei lá atrás sem muitas pretensão. Ótima experiência. Hoje temos uma garotada muito boa por aí, e fico feliz que esse instrumento, que é um pouco chato de tocar, não acabará”.

Doze parcerias participarão do concurso de samba de quadra neste sábado na Tradição

Publicado em Série B
Quinta, 14 Junho 2018 08:09

Tradição: doze parcerias participarão do concurso de samba de quadra no sábado, dia 16

A Tradição recebeu na última quinta-feira, dia 7 de junho, a inscrição de 12 parcerias em seu concurso de samba de quadra. Os compositores se apresentarão no concurso no próximo sábado, dia 16 de junho, a partir das 13 horas, no Cozido da Tradição, com show do grupo Jet Samba Black, tocando todos os ritmos.
A ordem de apresentação das parcerias será feita em sorteio, no mesmo dia, com um representante de cada parceria. Os três primeiros colocados serão contemplados com premiação. Na ocasião, a presidente Raphaela Nascimento irá divulgar novidades para o Carnaval 2019.
Confira abaixo a inscrição das parcerias:

PARCERIA 01
- Márcio de Deus
- Jorginho Moreira
- William do Salão

PARCERIA 02
- Meri de Liz
- Claudinho DVD
- Simone Lyns

PARCERIA 03
- Felipe Quirino
- Marlon Assumpção
- Uenderson Soneca

PARCERIA 04
- Aurélio Tradição
- Robinho
- Adelmo do Cavaco

PARCERIA 05
- Joseth Rodrigues
- Pry Napolitano
- Jurema Matos

PARCERIA 06
- Santos Melodia
- Braz Silva
- Mário Flor

PARCERIA 07
- Betto Moura
- Pestana
- Paulo Bispo

PARCERIA 08
- Bruno Serrinho
- Rodrigo Medeiros
- Guto Listo

PARCERIA 09
- Rodrigo Rosado
- Cleber Junior

PARCERIA 10
- Paulinho Direito
- Vini Lima
- Elma

PARCERIA 11
- Dedé Aguiar
- Claudinho Melodia
- Riccio

PARCERIA 12
- Guaracy Lenda Viva
- Luizinho Dú Kavaco
- Sheila Marques

Diogo Oliveira, mais conhecido como Coringa do tamborim

Publicado em Grupo Especial
Sexta, 25 Maio 2018 08:52

Por Luis Leite

Fotos: Arquivo pessoal

Foi com por volta dos 6 anos de idade que Diogo Oliveira, mais conhecido como Coringa, começou a ter o gosto pelo tamborim. Naquela época, Coringa pegava os espetos churrasco, latinha de refrigerante vazia e ficava imitando a batida de tamborim, até o dia que participou de um ensaio da escola mirim Aprendizes do Salgueiro, em 1996. A partir daí, não parou mais. Hoje, aos 34 anos, toca um carreteiro para ninguém botar defeito.

Criado no bairro do Estácio, o torcedor da Unidos de Tijuca Diogo Oliveira é morador do Rocha e formado em logística pela Universidade Estácio de Sá (Unesa). Segundo ele, apesar de ter o tamborim como instrumento predileto, Diogo “engana” em quase todos os instrumentos e já desfilou em cerca de 23 escolas. Foram tantas que ele não sabe ao certo: “Tocar de verdade, só tamborim mesmo, mas dá para enganar em quase todos os instrumentos da bateria, exceto no repique. Agora, já desfilei tocando caixa e surdo de 1ª. Depois de ter desfilado no Aprendizes do Salgueiro, já desfilei em quase todas escolas, sou velho nisso. Já saí no Salgueiro, Tijuca, Vila, Estácio, São Clemente, Tuiuti, Mocidade, Imperatriz, Rocinha, Império Serrano, Império da Tijuca, Santa Cruz, Lins, Vizinha, Beija-Flor, Renascer, Vila Rica, Porto da Pedra, Caprichosos, Tradição, Leão de Nova Iguaçu, Unidos da Ponte, Boi da Ilha... acho que foram essas”.

Arquivo pessoal 3Admirador dos mestres Ricardinho, Celinho e Casagrande, Coringa aponta o desfile de 2014, da Unidos da Tijuca, quando a agremiação homenageou Ayrton Senna e foi campeã, como o melhor desfile de todos que participou. No entanto, não se esquece das bossas da bateria nos anos de 2003, 2006 e 2009, como as que ele mais admira até hoje: “São anos desfilando. Gostei de várias bossas, especialmente as da bateria da Tijuca. A bossa da cabeça do samba de Obatalá, em 2003; a bossa do início da segunda do samba ouvindo tudo que vejo, de 2006; e bossa da cabeça do samba da nave, em 2009.

Apesar de admirar as paradinhas, Diogo prefere o ritmo às bossas. Preza também por uma boa afinação, uma boa batida de caixa, um bom desenho de tamborim, todavia ressalta que o regulamento tem que ser cumprido. “Se hoje todas as baterias são obrigadas a fazer bossas, se a bossa estiver dentro da melodia do samba e não for muito grande, acho que não atrapalha, mas se passar um pouco do ponto, acaba prejudicando o andamento do desfile”, destacou.

Frequentador dominical da Igreja Católica, Coringa não esquece de rezar e falar com os padres para pedir proteção divina para a sua família. Muito familiar no seu ponto de vista, aponta seu irmão, o Ramon, como o melhor ritmista de tamborim, porém não se esquece dos integrantes de sua ala.

Arquivo pessoal 2Se mestre fosse, Diogo utilizaria a mesma formação que é usada na bateria Unidos da Tijuca, com 272 ritmistas, divididos entre cuícas, chocalhos, tamborins, caixas no alto, repiques, 1ª, 2ª e 3ª. Pensando mais adiante, o ritmista planeja tocar seu tamborim por um longo tempo e depois entrar para a velha guarda da Pura Cadência, como é carinhosamente chamada a bateria da escola do Borel. Por fim, para ratificar o que ele contou para a nossa reportagem, Coringa faz o convite aos admiradores dos samba e do carnaval: “Todos estão convidados para curtir os nossos ensaios de bateria lá na Tijuca”.

Lierj realiza sorteio da ordem dos desfiles da Série A na Cidade do Samba

Publicado em Série A
Quarta, 16 Maio 2018 17:03

As agremiações da Série A conhecerão no dia 5 de junho o dia e a posição em que desfilarão no Carnaval de 2019. A Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro promove, na Cidade do Samba, o sorteio da ordem dos desfiles.

O primeiro dia de apresentações no Sambódromo contará com sete agremiações na sexta-feira de Carnaval, 1º de março. A abertura será realizada pela atual campeã da Série B, a Unidos da Ponte, com a Acadêmicos do Sossego, 13ª colocada na Série A em 2018, fechando inicialmente a data. Já no sábado, dia 2, quem abre é a Unidos de Bangu, que terminou o ano na 12ª posição, seguida por mais cinco escolas de samba, que serão conhecidas através de sorteio. Para isso, houve a divisão dos seguintes pares:

Unidos de Padre Miguel – Estácio de Sá
Acadêmicos da Rocinha – Acadêmicos do Cubango
Renascer de Jacarepaguá – Acadêmicos de Santa Cruz
Unidos do Porto da Pedra – Alegria da Zona Sul
Inocentes de Belford Roxo – Império da Tijuca

O evento começa às 20h e contará com um show de Reinaldo, o príncipe do pagode. O artista promete empolgar os convidados com um repertório de grandes sucessos dos mais de 30 anos de carreira.

Não haverá venda de ingressos. Os convites disponíveis serão distribuídos pelas próprias agremiações aos segmentos. Os interessados em comparecer também poderão ficar atentos às redes sociais da Lierj, que promoverão ações para contemplar os foliões.

A Cidade do Samba fica na Rua Rivadávia Corrêa, 60, na Gamboa.

Roulian Então Tá Vieira, o criador do chocalhão em homenagem a Mestre Marçal

Publicado em Grupo Especial
Sexta, 11 Maio 2018 08:01

Por Luis Leite

Fotos: Domingos Peixoto,Marcos André Pinto,Paulo Araujo e Paulo Moreira

Roulian Vieira do Nascimento,nasceu na cidade de Rio Pomba, em Minas Gerais, e se criou em boa parte de sua infância no Rio de Janeiro. Como morador de Santa Teresa, funcionário público federal, ator e músico, já participou de diversas novelas de uma emissora de TV, como “Mandala”, “De Corpo e Alma” e também na minissérie “Araponga”, como Agente Negro. Hoje ele é membro do Colegiado Executivo dos Fóruns Regionais de Governo no estado de Minas Gerais.

Torcedor da Portela, da União da Ilha e da Unidos da Tijuca, Roulian percebeu o dom para tocar um instrumento em razão do fascínio do ritmo das baterias das escolas que sua mãe desfilava. Ele passou a se interessar por vários instrumentos, todavia foi o chocalho que fez emergir a sua fascinação. A sua avaliação como ritmista foi feita por ninguém mais, ninguém menos que Mestre Marçal. “Toquei caixa de guerra, agogô, surdo, tamborim até chegar naquele que eu gostava de ouvir os ritmistas tocarem: o chocalho. Ao chegar na Portela, para conhecer a bateria, percebi que o mestre exigia de cada um ritmista muito a performance, passava ao lado de cada um para ouvir se estava tocando no ritmo certo. Então passei a fazer parte da oficina de percussão, foram vários testes até ser aprovado pelos auxiliares e ritmistas mais antigos da Portela.  O teste final era tocar para o Mestre Marçal. Então comecei a ensaiar toda a semana na quadra. Durante um determinado ensaio, Mestre Marçal me perguntou porque eu chegava tão cedo à quadra. Eu respondi: ‘Para se inteirar com os auxiliares e tirar todas as dúvidas’.  Ele me disse: ‘Você tem futuro, meu sobrinho. Você merece um chocalho do seu tamanho’. Sobrinho, era a forma carinhosa que Marçal me chamava e também os outros ritmistas. Para homenageá-lo, resolvi fazer um chocalho do tamanho dele.  O instrumento foi construído pelo finado Paulo Marino da Portela.  Ele media 1,73 metros, exatamente da altura do Mestre Marçal, tinha 20cm de largura com 245 platinelas e pesava 5kg”, explicou Roulinan.

Foto de Paulo MoreiraCom sua primeira exibição na bateria da Portela, Vieira ganhou do Conselho do Museu do Carnaval o prêmio de destaque como ritmista. O sonho de Roulinan era ganhar também o Estandarte de Ouro para dedicar ao seu ao seu ídolo, o Mestre Marçal.

Apesar de ter feito essa homenagem a Marçal, Roulinan não desfila numa bateria desde 1999. Nesse ano, um dia antes do desfile da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, ele perdeu o instrumento que havia criado.  Para o desespero de Rouliam, ele saiu à procura do chocalho, pois ele seria tocado para milhões de expectadores e mostrado aos representantes do famoso “Guiness Book”, o Livro dos Recordes.  “Fui dar um suporte a um amigo da União de Jacarepaguá, na Avenida Rio Branco, que me pediu, antes do desfile começar, para que eu fosse organizar os ritmistas na área de concentração. No momento da distribuição dos instrumentos, o chocalho foi encostado em uma pilastra de um prédio e esquecido após a saída do responsável do caminhão. Segundo testemunhas, o chocalho foi levado por duas catadoras de latinhas, que se apossaram do material de alumínio pesado, largaram tudo que tinham em mãos e levaram o instrumento indo em direção à Central do Brasil.

Foto de Paulo AraujoAtualmente, com 60 anos de idade, Roulian relembra com o orgulho de alguns momentos que marcaram época no carnaval carioca, especialmente o dia em que Mestre André, da Mocidade, mesmo errando, criou a paradinha, e evidentemente destaca o Mestre Marçal, como o melhor de todos os tempos: “A melhor bossa que eu vi na minha vida foi a do Mestre André, quando vivo. Sem querer ele lançou a novidade.  Hoje, as bossas abrilhantam o show da bateria. É um ‘q’ a mais para dar um diferencial rítmico entre as outras agremiações. Agora, o mestre que mais admirei, foi o Mestre Marçal, sem dúvidas. Foi o meu grande incentivador. Foi ele que me deu as primeiras orientações para que eu tornasse ritmista.  Aprendendo todos os segredos de percussão. Tenho muito orgulho de ter desfilado sob a sua batuta”.

Roulian Vieira passou por diversas escolas, tanto como passista, quanto ritmista. Como passista, ele só não desfilou pela Mangueia, Salgueiro e Grande Rio. Já como ritmista, ele passou pela Portela, Beija-Flor, Estácio de Sá, Tradição, Império Serrano, Imperatriz, Mocidade, Unidos da Tijuca, Caprichosos de Pilares, União da Ilha, União de Jacarepaguá e Unidos de Vila Isabel.

Foto de Marcos André PintoAdmirador dos saudosos ritmistas Catanha da Portela e Eduardo do Repique, Vieira crê na valorização dos ritmistas, especialmente em resgatar essas histórias, que segundo ele, jamais serão esquecidas a partir da propagação de matérias e a visibilidade dada a esses músicos: “Propagar a cultura dos ritmistas é uma bela iniciativa. Essas histórias jamais deverão ser esquecidas e não deixar morrer os nomes de quem foi história no mundo samba, como os grandes baluartes das últimas décadas.  É a valorização do ritmista que é fundamental.  Não podia também esquecer dos saudosos José Carlos Machado, Fernando Pamplona e José Carlos Rêgo”.

Valéria Amorim assume a presidência da Ala dos Compositores da Vizinha Faladeira

Publicado em Série A
Segunda, 30 Abril 2018 16:39

A Vizinha Faladeira acaba de anunciar Valéria Amorim como a nova presidente da Ala dos Compositores da Pioneira. Ela retornar ao cargo após receber o convite do presidente David dos Santos, que acrescentou a importância de sua história no mundo do samba e também na agremiação, onde, este ano, coordenou a Ala Amigos da Pioneira, juntamente com sua mãe Alcenir Amorim.
"A Valéria já esteve conosco em outros carnavais, 2015 e 2016, e retornou à escola no Carnaval deste ano coordenando a Ala Amigos da Pioneira. Pela sua experiência e bagagem, decidimos convida-la para assumir a presidência da Ala dos Compositores, que, com certeza, fará com muita dedicação e  profissionalismo. É uma das nossas alas mais importantes e merece todo o nosso carinho. Em breve estaremos divulgando o enredo e a sinopse. Nossos compositores terão uma grande surpresa para iniciarem a escrita de suas obras", revelou o presidente David dos Santos.
A nova presidente Valéria Amorim destacou a importância da ala e anunciou que pretende realizar em breve uma reunião com os compositores da escola. "Estou retornando à Pioneira para comandar a Ala dos Compositores. Estive à frente dessa ala em 2015 e 2016, e sei de sua importância para a escola. Já posso destacar que pretendo trazer para a escola os antigos compositores, convidar novos escritores de samba e pessoas renomadas para a nossa ala. Estamos abertos para recebermos a nata do samba em nossa disputa de samba-enredo. Avante Pioneira rumo ao Carnaval 2019", ressaltou Valéria.

Página 1 de 4

 

 

Entrevistas

Zezinho Martinez: “As escolas juntas seriam muito mais fortes”

Zezinho Martinez: “As...

Por Vander Fructuoso O presidente da Liga das Escolas de Samba...

Marcelinho Emoção explica a venda de 13 alas comerciais na Vila

Marcelinho Emoção explica...

Por Ricardo MaiaFoto: Eduardo Hollanda Nos últimos anos, as escolas...

Ciganerey: do Engenho da Rainha para a Estação Primeira

Ciganerey: do Engenho...

Equipe OBatuque.comFotos: Marcelo Moura O nome de batismo é Paulo...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

Pagode

Blocos

Carnaval pelo Brasil

Tucuruvi anuncia André Oliveira como coreógrafo da Comissão de Frente

Tucuruvi anuncia André Oliveira como coreógrafo da Comissão de Frente

Foto: Renato Cipriano A escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi, do Grupo Especial do carn...

 

Book OBatuque

Extras

fotos

JoomShaper