Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

Jack Vasconcelos assina com a Mocidade Destaque

Publicado em Grupo Especial
Terça, 12 Março 2019 14:54

Depois de um título na Série A e um vice-campeonato no Grupo Especial nos últimos quatro carnavais, o carnavalesco Jack Vasconcelos assinará o seu primeiro desfile na Mocidade Independente de Padre Miguel. A contratação foi fechada pela direção da escola no final da noite desta segunda-feira, e os serviços prestados pelo artista há mais de uma década deram a certeza do acerto na aquisição. Aos 41 anos de idade, Jack assina carnavais desde 2004 e, além do Paraíso do Tuiuti, também levou a União da Ilha do Governador de volta à elite do samba em 2009. Ele se considera pronto para encarar o desafio de trabalhar pela primeira vez na Estrela Guia da Zona Oeste.

– Acredito muito nas etapas e no processo evolutivo das coisas. Sempre para chegar a um determinado ponto é preciso vencer outros. Cada ano de experiência na vida e no carnaval me fizeram aprender coisas e me conhecer melhor. Chegar na Mocidade hoje com tudo o que já fiz, com escolas completamente diferentes, me dá um conforto grande. Sempre me coloquei a serviço da agremiação. Em momento nenhum coloco o meu trabalho acima das escolas. Caminho ao lado. Faço o carnaval para a escola. Estudo e presto a atenção em todos os detalhes. Falo pouco e observo muito a agremiação que eu estou trabalhando. Gosto de perceber o momento e a característica dela - afirma ele.

Diante disso, surge aquele questionamento comum quando um novo carnavalesco chega na Mocidade. Qual será o estilo estético implementado? A verde e branca, ao longo de sua história, teve ícones do carnaval assinando os seus desfiles e cada um deles imprimiu uma cara diferente à escola. O cenário faz com que a Mocidade tenha marcado época em diferentes fases da folia com seus belos e inesquecíveis desfiles.

O próprio Jack contou que costumava brincar de montar desfiles de escolas de samba quando era pequeno. Utilizava caixas de sapato e de fósforo como alegorias, fantasiava bonecos para simular as alas. E a primeira lembrança da brincadeira é o desfile da Mocidade de 1990, o ''Vira Virou'', quando a escola ganhou o terceiro título de sua história. Este foi o primeiro desfile representado pelo ''pequeno Jack''.

– Eu gosto de prestar a atenção no estilo de cada escola. Quem tiver oportunidade e tempo de assistir os meus carnavais anteriores, verá que existe harmonia entre eles, mas não há repetição. Eu gosto que seja assim! Sempre é o Jack, mas é o Jack para aquela casa! Isso me dá oxigênio. Não me encosto em uma só fórmula. Será a minha cabeça para o estilo da Mocidade. A cada ano eu praticamente reformato a minha parte estética. A Mocidade é uma escola mutante, de vanguarda. Ela não fica presa somente a um estilo, e isso é muito prazeroso para um artista. Não é uma escola que vai te amarrar de forma alguma. A diversidade de estilos é a cara da Mocidade. É um campo vasto a ser explorado - ressalta.

Outra característica que Jack terá que se habituar na Mocidade é a participação dos torcedores na internet. Pela faixa etária da maioria dos independentes, a interação via redes sociais é imensa. O artista acha positivo e vê nisso uma escola em constante debate e autoconhecimento, mas ao mesmo tempo deixa claro que gosta de preservar o seu espaço dentro das redes sociais particulares.

- Tenho uma postura muito definida. Não sou porta-voz da escola através da minha rede social. Posto passagens da minha vida e experiências pessoais. Não falo em nome da agremiação que estou trabalhando. Uma coisa é o meu trabalho e outra é o Jack. Quero que as pessoas entendam isso. Preservo essa diferenciação – pede ele.

Já sobre o enredo da verde e branca para 2020, a cantora Elza Soares, Jack não esconde a empolgação em ter a oportunidade de desenvolvê-lo. Fã da artista oriunda da comunidade da escola, ele tem experiência em homenagens. Ao longo da sua carreira desenvolveu enredos em honra a Rildo Hora e Clara Nunes.

– A Elza tem uma história de vida muito rica e intensa. Isso naturalmente passa para o trabalho dela. É impossível não se deixar seduzir por essa vivacidade toda. De uma certa maneira, vejo, a princípio, um enredo com abordagem intensa. Não consigo enxergar uma Elza sendo enredo da escola dela de uma forma distanciada, apenas analítica. É um enredo quente! Um enredo para ser sentido. Tenho certeza que ele já nasce emocionante – afirmou o carnavalesco.

Em 2020 a Mocidade Independente de Padre Miguel buscará o sétimo título de sua história. A agremiação vem de um sexto lugar em 2019, igualando a marca obtida em 1995, 1996 e 1997, quando por três anos consecutivos voltou ao Desfile das Campeãs.

Deixe um comentário

 

 

Entrevistas

Luiz Carlos Bruno: “Quero voltar a trabalhar para fechar o portão com sabor de dever realizado”

Luiz Carlos Bruno:...

Por Ricardo MaiaFotos: arquivo pessoal A paixão de Luiz Carlos Bruno...

Juarez Carvalho, o Titio das baianas da Tijuca

Juarez Carvalho, o...

Por Ricardo Maia Desde 1999 na Unidos da Tijuca, Juarez Carvalho...

Zezinho Martinez: “As escolas juntas seriam muito mais fortes”

Zezinho Martinez: “As...

Por Vander Fructuoso O presidente da Liga das Escolas de Samba...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

Pagode

Blocos

Carnaval pelo Brasil

Ex Panicat Tânia Oliveira posa para o Carnaval e fala sobre ansiedade

Ex Panicat Tânia Oliveira posa para o Carnaval e fala sobre ansiedade

Faltando exatos seis dias para o início do desfile do Carnaval Paulistano, na manh&at...

 

icone instagram

Book OBatuque

Extras

fotos

JoomShaper