Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

Monarco e Mauro Diniz são os convidados da Feira das Yabás em homenagem ao Dia dos Pais Destaque

Publicado em Grupo Especial
Segunda, 06 Agosto 2018 20:32
Monarco e Mauro Diniz são os convidados da Feira das Yabás em homenagem ao Dia dos Pais Divulgação

A Roda de Samba do cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz recebe no próximo domingo, dia 12 de agosto, Dia dos Pais, na Feira das Yabás, os cantores Monarco e Mauro Diniz para uma participação pra lá de especial no evento que promete muita emoção.  Pai e filho, dois dos maiores nomes do Samba no Brasil vão cantar grandes sucessos da carreira como: Coração Desalinho; O Quitandeiro; Vai Vadiar, "Tímida Tentação";"Minha Cigana", "Sonho de Rei"' entre outras.

A Feira começa às 13h, na Praça Paulo da Portela, em Oswaldo Cruz, zona norte da Cidade e, ao exemplo do formato do ano passado, mais uma vez, será realizada de 2 em 2 meses, com muito samba e aquela culinária de dar água na boca.

Grandes nomes da MPB, como Dona Ivone Lara, Leandro Sapucahy, Leci Brandão, Arlindo Cruz, Danilo Caymmi, Fátima Guedes, Jongo da Serrinha, Guinga, dentre outros, já marcaram presença no evento Cultural. A festa tem patrocínio da Prefeitura Municipal da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura da Cidade do Rio de Janeiro, a realização da Associação Veia Cultural e assessoria de imprensa da Código Morse Assessoria de Imprensa e Comunicação.

 Sobre Monarco:

Hildmar Diniz, o Monarco, nasceu no Rio de Janeiro, no dia 17 de Agosto de 1932), vai completar 85 anos na semana seguinte ao Dia dos Pais,  é um cantor e compositor brasileiro, discípulo de Paulo da Portela.

Nasceu no bairro de Cavalcante, mas ainda criança foi morar em Nova Iguaçu. Aos 10 anos de idade mudou-se para Oswaldo Cruz, subúrbio do Rio e bairro de origem da Portela. Àquela época teve de perto contato com os sambistas da escola, integrando blocos e compondo sambas ainda pequeno. Também foi nessa época que surgiu o apelido, Monarco.

Em 1950 foi convidado a integrar a ala de compositores da Portela, onde mais tarde viria a se tornar líder da velha guarda. Também foi diretor de harmonia da escola. Nunca chegou a ganhar uma disputa de samba-enredo (o samba cantado durante o desfile da escola), mas conseguiu consagrar sambas "de terreiro" ou "sambas de quadra", como são conhecidos aqueles executados nos ensaios e logo tornados emblemas do patrimônio cultural coletivo dessas associações. Um deles é "Passado de Glória", que já foi "esquenta" (samba executado na área de concentração, pouco antes do desfile) da agremiação em diversos anos. Sua última disputa de samba-enredo foi em 2007, com seu filho Mauro Diniz e o presidente da Ala de Compositores da Portela, Júnior Scafura.

Seu primeiro disco solo foi lançado em 1976, com temas como "O Quitandeiro" (com Paulo da Portela) e "Lenço" (com Francisco Santana). Em 1995, Monarco tem o CD A Voz do Samba lançado no Japão. No Brasil, foi editado pelo selo Kuarup.

Em 1999 a cantora Marisa Monte convidou Monarco e a Velha Guarda da Portela para o CD Tudo Azul, de sua produção, que contou com participação de Paulinho da Viola e Zeca Pagodinho.

Em 2008 foi lançado o documentário Mistério do Samba, dirigido pelos cineastas Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, e também produzido por Marisa Monte, que levara dez anos para ser concluído, e no qual Monarco participa oferecendo relatos de sua história de vida e seus testemunhos pessoais sobre a história do samba no Rio de Janeiro. Essa produção foi incluída na seleção oficial do Festival de Cannes.

Em 2010, Monarco gravou seu primeiro DVD – "Monarco: A Memória do Samba" – no dia 28 de setembro, no Teatro Oi Casa Grande, Rio de Janeiro.

Em maio de 2011, o DVD foi lançado em um show para convidados no Teatro Rival Petrobrás, no centro do Rio de Janeiro.

Em 2015, seu álbum Passado de Glória – Monarco 80 anos foi premiado no 26º Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Álbum de Samba.

 Sobre Mauro Diniz:

O cantor e compositor Mauro Diniz, nascido em 03 de Outubro de1952 e criado em um dos bairros mais tradicionais do samba carioca "Oswaldo Cruz", deu seus primeiros passos em direção a música guiado pela Velha Guarda da Portela. Tinha seu sono embalado por sambas antológicos de seu maior ídolo, seu pai, Monarco da Portela.

Aos 5 (cinco) anos de idade já dedilhava o cavaquinho do pai; aos 8 (oito) foi presenteado com um violão por sua mãe Thereza, pastora da Portela.

Mauro Diniz foi um autodidata invejável, durante muito tempo. Aos 24 (vinte e quatro) anos comprou seu primeiro cavaquinho, não se separando do instrumento, até trocá-lo por um outro que já tinha sido do mestre Nelson Cavaquinho, este último o acompanha até hoje. Em 1982, começou a cursar uma Faculdade de Educação Física, não completando o curso devido às seguidas viagens que fazia integrando a banda da cantora Beth Carvalho. Estudou música com gente competente como o nosso saudoso "Copinha", maestro Joaquim Nagle e, indicado pelo maestro e produtor Rildo Hora, foi estudar piano clássico, harmonia e percepção com a professora Felícia.

Algum tempo depois se matriculou no CIGAM, um dos melhores cursos de música do Rio de Janeiro, onde concluiu o curso de Harmonia, Improvisação e Arranjo.

Mauro Diniz tem 5 trabalhos gravados. O Primeiro em 85 na coletânea Raça Brasileira, junto com Zeca Pagodinho, Jovelina Pérola Negra, Pedrinho da Flor e Elaine Machado, com produção de Milton Manhães. O segundo, em 87 "Cantar a Paz" e, o terceiro, em 90, "Simplesmente Mauro Diniz".

Em 2000, lançou o CD SAMBA COM REALIDADE,onde recorda os tempos de pagodes do Cacique de Ramos e faz homenagens a grandes sambistas como Mestre Marçal, Roberto Ribeiro e ao Grupo Fundo de Quintal.

Em 2003, lançou o CD "APOTEOSE AO SAMBA", produzido por Wilson Prateado, com participações de Zeca Pagodinho, Juliana Diniz, Monarco , Luiz Carlos da Vila, Naninha, Klebão, Péricles e Marcos Diniz .

Em 2013, gravou seu primeiro DVD, que deve ser lançado em Breve .

Além da boa música, o público ainda poder aproveitar para experimentar a culinária típica do subúrbio carioca e pratos de origem africana, nas 16 barracas expositoras do evento, sob o comando das matriarcas das famílias mais importantes e tradicionais da região de Oswaldo Cruz: um imenso restaurante a céu aberto. Entre as muitas opções, estão o mocotó e o aipim com carne seca da Tia Surica, baluarte da Velha Guarda da Portela. A refeição mais concorrida é a rabada com batata da Dona Neném, a mais velha das tias, com 87 anos que, além da rabada, também prepara angu e bolinho de abóbora recheado com carne-seca. Neide Santana, serve feijoada de camarão, angu à baiana e feijão amigo. Já na barraca da Jane Carla, é vendido cozido de peixe. A expositora Romana vai de carré com couve à mineira à moda carioca, jabá e caldinhos de mocotó, feijão e ervilha. Bobó de camarão é o prato da Jussara, e Selma Candeia, filha do sambista Candeia, oferece abóbora com carne seca. A combinação de peixe frito, molho de camarão, pirão e arroz fica sob a responsabilidade da Tia Nira. Já Tia Edith, apresenta macarrão com carne assada, enquanto Vera Caju, mostra o seu cozido, camarão frito e caldo de abóbora. Rosimeri Cruz, serve a deliciosa galinha com quiabo e Jane Pereira, mostra o jiló frito, além de caldos e canjas. Rosângela Maria, leva a tripa lombeira e o bolinho de bacalhau para a Feira e Marlene apresenta roupa velha e feijoada. E, se você ainda não estiver satisfeito, pode experimentar a vaca atolada, a carne com aipim e o croquete de carne seca, preparado com os mesmos ingredientes da vaca atolada, da Tia Natércia e da Sueli. Para arrematar, as expositoras Vera de Jesus e Janaina de Jesus, preparam doces deliciosos. Os preços das refeições ficam em torno de R$ 30,00.

Sobre a Feira das Yabás:

A primeira edição da Feira das Yabás aconteceu em 2008, por iniciativa de Marquinhos de Oswaldo Cruz, que depois de recriar o Trem do Samba e a feijoada da Portela, resolveu cantar seus sambas na quadra da Portelinha, regado a macarrão com carne assada. Nascia, assim, a primeira edição da Feira, que hoje reúne milhares de visitantes de todas as regiões do Rio.

Serviço:

Feira das Yabás – Música, Cultura e Gastronomia.

 Atrações: Roda de Samba de Marquinhos de Oswaldo Cruz recebe Mauro Diniz e Monarco. Homenagem ao Dia dos Pais.

Quando: Domingo, 12 de agosto de 2018.

Hora: a partir das 13h.

Local: Praça Paulo da Portela, Oswaldo Cruz - Rio de Janeiro

Evento gratuito.

Mais informações: 21- 97042-3110

Classificação: Livre

Deixe um comentário

 

 

Entrevistas

Zezinho Martinez: “As escolas juntas seriam muito mais fortes”

Zezinho Martinez: “As...

Por Vander Fructuoso O presidente da Liga das Escolas de Samba...

Marcelinho Emoção explica a venda de 13 alas comerciais na Vila

Marcelinho Emoção explica...

Por Ricardo MaiaFoto: Eduardo Hollanda Nos últimos anos, as escolas...

Ciganerey: do Engenho da Rainha para a Estação Primeira

Ciganerey: do Engenho...

Equipe OBatuque.comFotos: Marcelo Moura O nome de batismo é Paulo...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

Pagode

Blocos

Carnaval pelo Brasil

 

Book OBatuque

Extras

fotos

JoomShaper