Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

2017 - o carnaval que teima em não terminar

Publicado em Artigos

Por Aloisio Villar

Baseado no livro "1968, o ano que não terminou", anos atrás lancei em outro site a coluna "1989, o ano que não terminou", falando do carnaval de 1989 que até hoje provoca polêmica e calorosos debates.  

O Carnaval 2017 parece querer ir pelo mesmo caminho, mas por motivos diferentes. Se 1989 foi um carnaval espetacular e considerado um dos maiores de todos os tempo o de 2017 foi tenebroso e é um morto vivo que teima em nos assombrar.

Vamos falar a verdade, o Carnaval 2017 foi péssimo, um ano para ser esquecido. Um carnaval com acidentes como da porta-bandeira da Unidos de Padre Miguel, as quase tragédias causadas por carros alegóricos do Paraíso do Tuiuti e Unidos da Tijuca, a virada de mesa, a não última colocação da Tijuca e até para nós da Ilha do Governador foi péssimo porque tivemos três escolas rebaixadas, uma tradicional impedida de desfilar por dois anos como o Boi da Ilha e um racha que fez sair metade da diretoria como na Nação Insulana.

As únicas coisas boas que ocorreram foram as vitórias das escolas de Madureira: Portela e Império Serrano, escolas que há muito tempo não conquistavam títulos e suas vitórias deixaram o mundo do samba feliz.

Era para o Carnaval 2017 acabar aí. Era para nós esquecermos de vez que existiu o Carnaval 2017 e começar a focar em 2018, torcendo por menos problemas. Mas o "desgraçado" teima em continuar vivo, como um Fred Kruegger entra em nossos sonhos fazendo virar pesadelo.

O assunto mala da vez, que insiste em deixar esse carnaval vivo vem do título, de uma das poucas coisas boas desse carnaval que foi o título sozinho da Portela depois de 47 anos.

Até esse está ameaçado agora graças a uma trapalhada que não sabemos ao certo se foi feita pela Liesa ou pelo julgador que deu 9,9 em enredo para a Mocidade, alegando faltar um destaque na frente do carro sendo que o destaque só existia na defesa de enredo original, na reformulada entregue a Liesa pela Mocidade não existia mais até porque a destaque virou rainha de bateria.

Ou porque não entregaram a defesa nova ou por erro do jurado a Mocidade recebeu 9,9 e assim perdeu o carnaval.

Evidente que o povo de Padre Miguel ficou para lá de Marrakesh com essa história, com toda razão, apesar de não achar que a Mocidade merecesse vencer e o vice-campeonato ter sido um resultado extraordinário para ela a escola perdeu o carnaval, perdeu a chance de sair da fila encerrando um jejum de 21 anos nesse erro. 

Mas aí eu acho que a escola também cometeu um erro. Ela devia processar o jurado, pedir na Liga a premiação de campeã e sair como vítima da história, deixar a Liesa com dívida moral com ela. Mas não, a escola reinvidica a divisão do título, e eu vejo nisso um erro.

Vejo porque considero resultado de carnaval como de futebol. Se não houve má fé, suborno, nada disso resultados de campo e pista devem ser mantidos, não mudados em gabinetes. No futebol, costuma-se ver com maus olhos os clubes que entram na justiça ou são beneficiados por suas decisões mudando resultados de partidas e classificações, o Fluminense até hoje sofre com isso, o Inter também. Com a Mocidade, acham correto, e até pessoas que ironizam o Fluminense apoiam a Mocidade deixando a paixão falar mais alto. Nessa hora não tem imparcialidade, muitos jornalistas de carnaval se deixaram levar por paixões e entraram em trincheiras.

Acho anticlimax mudar resultado de algo mais de 40 dias depois. Imagino a resolução do empate, seria uma grande frustração para a Portela e não recuperaria para a Mocidade a alegria, a euforia que ela deixou de ter na quarta-feira de cinzas. O estrago foi feito. É como um medalhista de prata receber o ouro dez anos depois porque ficou comprovado que o primeiro colocado se dopou.

Entendo a Mocidade e seus torcedores, entendo a revolta, mas acho até que uma mudança de resultados abre um precedente perigoso, cria uma jurisprudência. Todos os anos teremos escolas se dizendo prejudicadas e recorrendo. A Beija-Flor perdeu em 1986 porque julgador declarou não gostar da escola e 1989 por não entender as palavras do refrão. Mais importante que mudar resultado de carnaval, é mudar o carnaval. Parar com viradas de mesa, parar de julgar escolas dependendo do peso dabandeira, preparar melhor os julgadores, trocar os "lambões" e passar a fazer do 10 uma conquista, não um ponto de partida. Que as escolas tirem o 10 porque foram excelentes, não porque não erraram e que esses 10 sejam justificados também.

Cada um quer ver o seu lado, não o todo infelizmente e assim o Carnaval 2017 nos assombra como o Alexandre, na novela "A Viagem", faz portelenses e independentes brigarem, abalam amizades e enche o saco. Por isso peço, deixem o Carnaval 2017 desencarnar. Que ele siga o caminho de luz.

Twitter - @aloisiovillar  

Facebook - Aloisio Villar

Mais nesta categoria: « O Carnaval 2017

Deixe um comentário

Enquete

O que achou do novo site?
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
Votos totais:
Primeiro voto:
Último voto:

 

 

Entrevistas

Felipe Lima deixa o Dendê e assume a voz do Amarelinho

Felipe Lima deixa...

Por Daniel DuarteFoto: presidente Marquinhos e Felipe Lima/arquivo pessoal Após...

Marcus Vinícius desabafa: “A Alegria da Zona Sul merece respeito”

Marcus Vinícius desabafa:...

Por Wellington Lopes Foto: arquivo pessoal/por Val DiOlyvera Após a...

Lá vem a Pioneira sob a batuta do mestre China

Lá vem a...

Por Wellington LopesFoto: Alexandre Lourenço Ele nasceu José Roberto Monteiro Bitar,...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

Rio de Janeiro, 25 de março de 2017 Por Wellington LopesFoto: Thiago Santos H&aa...

Pagode

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Foto: divulgação Elegância, carisma, ternura e suavidade s&a...

Blocos

Carnaval pelo Brasil

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Grandes nomes do carnaval carioca participaram da produção Por Marta Almei...

 

Extras

fotos

propaganda yes

JoomShaper