Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

Marcus Vinícius desabafa: “A Alegria da Zona Sul merece respeito”

Publicado em Entrevistas

Por Wellington Lopes

Foto: arquivo pessoal/por Val DiOlyvera

 

Após a penúltima colocação na Série A, o presidente da Alegria da Zona Sul, Marcus Vinícius de Almeida, procurou nossa equipe de reportagem e em tom de desabafo fez severas críticas à Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj) por ter escolhido um corpo de jurados que, para ele, são pessoas desqualificadas e despreparadas para julgar o desfile das escolas de samba.

Marcus chega a propor a troca de bandeiras entre as escolas para que os julgadores passem a avaliar de forma mais correta os quesitos, já que na sua opinião os jurados atribuem notas pelo nome da agremiação e não pelo desfile em si, mesmo tendo sido, este ano, um julgamento comparativo, conforme fora anunciado durante uma reunião que antecedeu o carnaval.

E se comparativo era, o presidente disse ao OBatuque.com que exige uma explicação por ter lavado notas tão baixas, especialmente no quesito fantasia quando um jurado anotou 9.4 para a Alegria, enquanto outras escolas apresentaram o mesmo quesito, segundo ele ainda, muito aquém do que o grupo exigia, e com isso recebeu notas semelhantes às da Vermelho e Branco.

A indignação do dirigente é tanta que ele afirma não medir esforços para que a sua escola seja mais respeitada e propõe que a Lierj tome mais cuidado na hora de escolher seus julgadores, haja vista que a Liga é o órgão representativo das agremiações, e se ele, como gestor da Alegria, não pode reclamar e nem tenha o direito de falar, sugere que este então não seja mais um país democrático.

 

OBatuque.com – Você nos procurou para desabafar. O que houve de fato e o motivo do desabafo?
Marcus Vinícius
- O desabafo é em relação às notas, nós investimos muito neste carnaval. A Lierj tem culpa desde o momento em que ela coloca as pessoas para julgarem. Nós ficamos em 13º, com isso parece que fomos escolhidos para ficar nesta posição, porque não houve outra escola que foi tão prejudicada como a Alegria da Zona Sul. Isso é que está me doendo ainda mais. Eu sempre fui um cara que sempre se comportou ordeiramente, cordial, leal... Acho que não estão tendo consideração com a minha escola. Eu peço respeito com a minha escola. Ela tem uma história. Ela tem a comunidade dela: Pavão-Pavãozinho-Cantagalo, que é só a raiz. Então não é uma escola solta no mundo para as pessoas chegarem e pisarem nela. Três escolas, no mínimo, estavam bem piores que a gente. Escolas que parecem protegidas por eles lá. Tinha escola que não tinha fantasia, e outra com as fantasias todas iguais, as dos carros, da comissão de frente... Quem estava na Marquês de Sapucaí viu.

OBatuque.com – Um jurado atribuiu à fantasia da Alegria 9.4, como você analisa esse julgamento?
Marcus Vinícius
- Só tenho a lamentar. São pessoas completamente desqualificadas, despreparadas. Pessoas que nós não conhecemos. Pessoas que a gente não conhece nem do mundo do samba. Então um cara me dá 9.4 em fantasia, e teve escola, que nem fantasia tinha, entre aspas, recebe a mesma nota, demostra todo o dolo contra a nossa escola, entendeu?

OBatuque.com - Você acredita num suposto complô do corpo de jurados da Lierj ou da própria Lierj?
Marcus Vinícius - Eu não posso afirmar que a Lierj esteja prejudicando a escola propositalmente, mas acho muito estranho isso ser só com a Alegria. Ano passado, fizemos um enredo chamado Ogum e fomos aclamados pela crítica como um grande desfile, e a Alegria ficou em 10º lugar. Aí os mais experts no assunto disseram que as fantasias não estavam tão boas. Bom, se não estavam tão boas, então vamos investir. Troquei a comissão de frente, investimos em alegorias, fiz um carro acoplado lindíssimo, investi em iluminação, paguei um ateliê muito bom - o Tiago -, em Niterói. As fantasias chegaram com 20 dias de antecedência, todas elas bem-acabadas. Aí vem um cara e não gosta. Então era um lixo, um pano de chão a nossa fantasia. Eu acho que existe a culpa sim, porque se colocou pessoas incompetentes para julgarem. Estão julgando a bandeira. “Ah, é a Alegria da Sul. Pode botar eles lá embaixo, que eles não vão reclamar, não”. E outras escolas, que já passaram pelo Especial, nitidamente caindo aos pedaços. Se o carnaval, como bem os jurados falaram no dia da reunião, seria comparativo, então estão comparando a nossa escola com quem? Qual a escola de samba que eles chegaram à conclusão para dizer que a Alegria da Zona Sul era um lixo? Quer dizer: gastei aos extremos. Meus parceiros comerciais investiram absurdamente na escola. Só de iluminação eu gastei uma fortuna para acontecer isso. Não é só fantasia, são 9.5 em alegoria também. O Jorge Teixeira, que foi da Mocidade Independente de Padre Miguel, que foi um sucesso, era o nosso coreógrafo, foi martelado. Eu só peço respeito. Respeito com a minha escola, porque senão houver respeito com a minha escola, eu vou falar, eu vou à imprensa, eu vou até as últimas consequências, para defender o direito das pessoas que desfilam com a minha escola. O mais triste, é você olhar no semblante dos nossos componentes e ver a tristeza sem saber o que está acontecendo. Eu quero saber o que está acontecendo? Qual é o critério? Vamos fazer uma cartilha para saber qual é o critério para ser julgado e colocar isso tudo lá, porque a opinião pública poderia acompanhar dessa forma.

OBatuque.com – As escolas aprovaram o corpo de jurados, certo? Ou houve alguma agremiação contra a escolha?
Marcus Vinícius
- Teve uma reunião com os jurados, e cada escola poderia mandar um representante, e o meu diretor de Carnaval que participou, e ele me passou que o carnaval seria comparativo, ou seja, uma escola comparada à outra. Para você ver a discrepância, a Alegria fez as fantasias no mesmo lugar que a Viradouro fez as dela. Veja as notas da Viradouro e veja as notas da Alegria. Foi o mesmo ateliê, com a mesma qualidade. A escolha dos jurados é um critério que Lierj usa, ela tem que arcar com isso, eu tenho que cobrar dela, porque é ela que gere o nosso grupo. Eles estão até fazendo uma administração que alavancou a visibilidade do grupo, só que entre o primeiro e o décimo quarto lugares muita coisa acontece. Então, não é tipo: “Ah, está no grupo está bom. Está no meio está bom”. Para mim não está bom. Eu quero ser julgado direito. Tem uma passagem minha, em 2011, na época da Lesga (extinta Liga das Escolas de Samba do Grupo A), queriam que eu não entrasse na situação fogo, pois o barracão da Alegria havia sido incendiado. Eles queriam congelar o resultado do desfile. Eu falei na época, na Riotur, que se eu recebesse ajuda também, não tinha o porquê ficar buscando isso. Então eles me ajudaram, eu fiz o carnaval, a escola estourou o tempo, eu desci e fiquei na minha. Quando você erra, você tem que ficar na sua, tem que colocar a viola no saco e ficar quietinho. Agora, se eu ficar quieto, eu vou concordar com tudo que está sendo feito. Não tenho nada pessoal, não é nada contra ninguém, é contra o sistema que está me prejudicando, porque você perde o tesão e a vontade de fazer carnaval dessa forma. Eu vim de baixo, eu fui diretor de Carnaval, fui compositor, eu sou fundador também do Alegria da Zona Sul. Eu assinei ata de fundação da escola, que foi criada pela união Unidos do Cantagalo e Alegria de Copacabana. Então, não caí de paraquedas em lugar nenhum. Eu sou subtenente do Corpo de Bombeiro, eu não vivo do carnaval, vivo para o carnaval. Eu aprendi dentro do quartel, a questão de hierarquia e disciplina. Eu não tenho que concordar com uma situação dessas. Estou apenas cobrando o é o certo. Se é difícil fazer o certo, então muda a forma de gerir isso. Vamos trocar as bandeiras. Vamos trocar a bandeira da Alegria com a do Império Serrano, para ver se os jurados vão julgar da mesma forma. A impressão que dá é que o jurado não estava mais lá, parece que estava dormindo.

OBatuque.com – O que pode ser feito para melhorar esse panorama? Quais são os planos para o futuro da Alegria?
Marcus Vinícius - Eu peço que a Lierj tenha mais cuidado com isso. Não adianta me bater. A gente não vai se calar, né? Vou correr sempre atrás dos direitos da minha escola, dentro do contexto do carnaval. Já renovamos com o primeiro casal, o cantor e o diretor de bateria... Eu não tenho parâmetro para fazer uma avaliação do que foi o carnaval. Eu não posso sair trocando todo o mundo, porque eu seria incoerente. Se acho que eu fiz um grande desfile, e os jurados não viram, eu seria incoerente mandar todo o mundo embora, mas já estava acertado algumas mudanças na Direção de Carnaval, trazer gente nova que queira realmente trabalhar e vamos reforçar outros quadros da escola. A comissão de frente ainda está em aberto. Eu não sentei para conversar com o Jorge Teixeira. Mas a princípio é isso. A escola virá com mais garra. A Alegria está num viés de subida. Eu quero que eles entendam isso, que a liga está ali para atender aos anseios das escolas de samba que fazem parte. Se eu não tiver o direito de falar ou de reclamar, a gente não vive num país democrático.

 

Procurada, a Lierj disse que "as justificativas das notas do Carnaval 2017 serão divulgadas em breve através do site oficial". 

Itens relacionados (por tag)

  • União da Ilha comemora Dia de São Jorge neste domingo

    A programação para comemorar o Dia de São Jorge neste domingo será intensa na quadra da União da Ilha. A agremiação insulana preparou para os fiéis do "Santo Guerreiro" uma programação que contará com missa, queima de fogos, feijoada, velha guarda musical da escola, apresentação do novo coreógrafo da comissão de frente, Márcio Moura, shows dos grupos "Samba do Amigo Meu" e Dudu Nobre, Pique Novo e do cantor Belo. Para fechar o dia com chave de ouro, bateria do mestre Ciça, Ito Melodia e o carro de som com sambas inesquecíveis da Ilha, passistas, baianas e casais de mestre-sala e porta-bandeira


    Confira a programação que ocorrerá o dia todo:

    11h - Missa no interior da quadra;

    em seguida: 

    tradicional queima de fogos no estacionamento da quadra;

    feijoada na quadra;

    show da Velha Guarda musical;

    show do grupo Samba do Amigo Meu e Dudu Nobre;

    show do grupo Pique Novo;

    show do cantor Belo;

    bateria do Mestre Ciça e Ito Melodia com sambas inesquecíveis.

  • Hoje, 6 de abril, finalmente conhecemos a campeã, ou melhor, as campeãs do carnaval

    Por Ricardo Maia
    Foto: Luis Leite

    Indiscutivelmente a Mocidade fez um desfile digno de campeã. A meu ver, em relação à plasticamente, foi a melhor escola que passou na avenida. Algumas vertentes da forma que esse título é que me causam alguma surpresa.

    Não me lembro em outros carnavais de uma campeã da avenida ter sido aclamada em plenária. A reunião também teve um comportamento atípico. Das 13 escolas com direito a votos, cinco resolveram de abster. E as cinco consideradas escolas de ponta. Como pode quase a metade do grupo, e justamente as que sempre disputam títulos se absterem de uma decisão tão importante para o futuro do carnaval? Com exceção da Mangueira, as outras sete escolas consideradas, digamos, o segundo escalão do Grupo Especial, votaram a favor. Jogo de interesses? Acordo de amigos?

    Entendam-me. Não estou desqualificando o título da Mocidade, que poderia perfeitamente ter sido aclamada campeã na abertura dos envelopes. Estou avaliando a forma que esse título foi conquistado.

    Em 1980, a última vez que foi decretado empate, os jurados deram notas máximas para as três escolas campeãs, não havendo possibilidade de desempatar. Mas 2017 foi bem diferente.

    Título dividido? Mas por quê? Como assim? Baseado em quê?

    Se o décimo tirado da Mocidade foi devolvido, ela teria 269,9 pontos, terminando empatado com a Portela. Porém temos quesitos de desempates. Vamos avançando sobre eles... enredo mestre-sala e porta-bandeira, harmonia, evolução... até aí as duas seguiriam empatadas com 30 pontos. Então chegamos ao quesito comissão de frente: Mocidade 10, 10, 10, Portela 10, 10, 9,9. Pronto, a Mocidade seria campeã pelo desempate.

    Todavia a Liesa declarou empate. Que empate é esse? Se considerarmos o julgamento pelas notas dos jurados na pista, deu Portela, se formos pelas notas das justificativas, deu Mocidade. Empate jamais. De maneira alguma daria empate.

    Mas a plenária da Liesa declarou empate. Tirou da cartola um empate totalmente inventado. Jogou na lama a credibilidade dos desfiles. Em troca de não sei o quê.

    O Carnaval 2017 vai ficar marcado como o carnaval das viradas de mesas. Primeiro ninguém desce, depois as campeãs ficam empatadas, mesmo o regulamento permitindo um desempate real.

    Será que a partir de 2018, na Quarta-Feira de Cinzas, haverá comemoração ou teremos que aguardar a abertura das envelopes com suas justificativas?

    Vamos aguardar, mas ainda tento acreditar que "vale o que está escrito!"

  • Jorginho do Império lança sua candidatura à eleição presidencial

    Devido a todo o seu conhecimento, em relação ao Império Serrano, e a toda contribuição para o Império Serrano que neste ano completa 70 a sua escola do coração, e nos seus 73 anos de vida, Jorginho do Império decidiu concorrer às eleições deste ano, através da chapa – “Estamos juntos, agarrados, misturados, embolados – imperianos de verdade”.

    E essa medida se faz em virtude do seu pensamento: “Já passei por vários cargos no meu império Serrano. Já ocupei cargo de vice-presidente, de diretor musical, harmonia. Fiz vários ensaios técnicos na quadra da escola, sempre com muito carinho e respeito com os componentes”, mas agora chegou a hora de junto com a família imperiana, e todo o povo do samba brigar pelo direito legitimo de junto a eles comandar a nossa escola”.

Deixe um comentário

Enquete

O que achou do novo site?
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
Votos totais:
Primeiro voto:
Último voto:

 

 

Entrevistas

Felipe Lima deixa o Dendê e assume a voz do Amarelinho

Felipe Lima deixa...

Por Daniel DuarteFoto: presidente Marquinhos e Felipe Lima/arquivo pessoal Após...

Marcus Vinícius desabafa: “A Alegria da Zona Sul merece respeito”

Marcus Vinícius desabafa:...

Por Wellington Lopes Foto: arquivo pessoal/por Val DiOlyvera Após a...

Lá vem a Pioneira sob a batuta do mestre China

Lá vem a...

Por Wellington LopesFoto: Alexandre Lourenço Ele nasceu José Roberto Monteiro Bitar,...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

Rio de Janeiro, 25 de março de 2017 Por Wellington LopesFoto: Thiago Santos H&aa...

Pagode

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Foto: divulgação Elegância, carisma, ternura e suavidade s&a...

Blocos

Carnaval pelo Brasil

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Grandes nomes do carnaval carioca participaram da produção Por Marta Almei...

 

Extras

fotos

propaganda yes

JoomShaper