Wip lojas

Móveis pelo menor preço! 
www.movelcasa.com.br
Parcele seus móveis em até 12x Sem Juros

http://templatesjoomla.com.br/
Templatee Joomla Profissional!
Templates a partir de R$ 9,90.

O ensaio técnico e seus problemas

Publicado em Artigos

Por Aloísio Villar

 

Domingo passado tivemos mais um grande ensaio na Marquês de Sapucaí. Porto da Pedra, Vila Isabel e Salgueiro ensaiaram muito bem, mostrando força de suas comunidades e de seus sambas.

Uma noite inesquecível, com mais de 60 mil pessoas na Sapucaí. Aí começa meu artigo.

É muita gente. Sessenta mil pessoas em um domingo de verão no calor que é a Sapucaí tendo tantas opções nessa cidade feitas para o verão é gente demais. Ninguém, nenhum evento, nessa época do ano consegue reunir sessenta mil pessoas, e mesmo fazendo isso pelo segundo domingo seguido, os ensaios não têm a força midiática e como produto que deveriam ter. Não conseguem ser o chamariz que as pessoas voltem a se interessar por escolas de samba. Por quê? Porque vendem muito mal o seu produto.

Primeiro é que cometem um erro infantil. Qualquer criança sabe montar tabelas esportivas, seja da nossa geração, jogando botão, ou atualmente ao jogar o Fifa. Uma das premissas de montar uma tabela dessas é a justiça, correto? Correto então porque qualquer criança sabe montar uma tabela justa e os organizadores dos ensaios técnicos não?

Não conseguem. Atendendo aos caprichos das prima-donas do carnaval que não gostam de ensaiar aos sábados o desnivelamento está ridículo. Na maioria dos sábados, temos a Sapucaí vazia porque são humildes escolas da Série A, sem atrativo midiático, ensaiando, e os domingos ficam superlotados com pelo menos duas escolas com muita popularidade. Temos sábados com menos de 1.000 pessoas, e os domingos com 60 mil. Está errado isso!

A pontualidade é essencial para que qualquer produto seja bem vendido e isso é impossível nos ensaios técnicos. Marcam às 7 horas, mas nós já sabemos que começará às 8h. A questão do horário envolve dois problemas.

O primeiro que 7 horas, no horário de verão, é de dia e evidentemente que estará mais vazio. Não há cadeiras nas arquibancadas, é concreto o que deixa aquilo quente demais, quase insuportável. As pessoas no domingo vão à praia e só pensam nos ensaios depois. Então 7 horas não tem ninguém, o que "justifica" o atraso.

Só que são três escolas por domingo, o que faz a coisa acabar tarde demais. Ensaios acabam perto de meia-noite com as pessoas tendo que trabalhar no dia seguinte, pegar ônibus para voltar para casa, e sabemos que os ônibus somem depois de certa hora. Pior: um evento desses, e o metrô continua fechando 23 horas.

Outra questão foi que me bateu mais forte nesse domingo. O Salgueiro fazia um baita ensaio, extraordinário, mas as últimas alas ficaram sem som. Bateu desespero na harmonia tentando fazer com que o samba não atravessasse, mas não adiantou, o carro de som começou a cantar uma coisa e as últimas alas, outra. Culpa nenhuma da escola e dos componentes e sim da organização.

Evidente que não dá para pôr o som de desfile, que pega a avenida toda. Mas será que não dá para colocar um som melhor? Para que todos os componentes que estão lá ensaiando possam ouvir o que cantam e o público, que é consumidor, também possa ouvir? Tem que ter um jeito para isso, para que não prejudiquem as escolas e o público. É questão de respeito com componente e consumidor sendo que o componente muitas vezes também é consumidor já que paga por sua fantasia.

O que me causa mais espanto é que tinha várias pessoas da imprensa e ninguém comentou nada, só eu. Por que não comentam os erros dos ensaios técnicos? Medo de ficar sem credencial? Infelizmente a mídia de carnaval tem um pouco de medo de criticar, mesmo as críticas sendo pertinentes, e até programas de Youtube que foram criados para ser o diferencial, mostrar o que ninguém mostra, estão mais "iguais" do que nunca.

A entrada na Sapucaí nos ensaios é gratuita, mas dá para ganhar dinheiro nisso. Principalmente gerando imagem positiva para fazer com que a pessoa que está ali se sinta bem-cuidada e queira voltar ao desfile. Dá para fechar acordos, parcerias, patrocínios específicos para ensaios técnicos. Basta ter gente ousada e com vontade para trabalhar o marketing.

Temos muito a aprender com os americanos que transformam todos os seus eventos em entertainment, em show business. O carnaval é muito ma-explorado no que poderia ser bom e muito bem explorado no que é ruim.

Menos rabo preso também ajuda. Todos querem o melhor e dá para fazer o melhor. Só pensar um pouco. 

Como falava o Falcon: “Quem ousa, vence!”

Twitter - @aloisiovillar 

Facebook - Aloisio Villar

Deixe um comentário

Enquete

O que achou do novo site?
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
  • Votos: 0%
Votos totais:
Primeiro voto:
Último voto:

 

 

Entrevistas

Felipe Lima deixa o Dendê e assume a voz do Amarelinho

Felipe Lima deixa...

Por Daniel DuarteFoto: presidente Marquinhos e Felipe Lima/arquivo pessoal Após...

Marcus Vinícius desabafa: “A Alegria da Zona Sul merece respeito”

Marcus Vinícius desabafa:...

Por Wellington Lopes Foto: arquivo pessoal/por Val DiOlyvera Após a...

Lá vem a Pioneira sob a batuta do mestre China

Lá vem a...

Por Wellington LopesFoto: Alexandre Lourenço Ele nasceu José Roberto Monteiro Bitar,...

Escolas Mirins

Samba de Raiz

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

O batuque do SambaKetu contagia o Rio

Rio de Janeiro, 25 de março de 2017 Por Wellington LopesFoto: Thiago Santos H&aa...

Pagode

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Solange Pellegrini lança seu primeiro CD

Foto: divulgação Elegância, carisma, ternura e suavidade s&a...

Blocos

Carnaval pelo Brasil

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Timbalada comemora lançamento do CD das escolas de Corumbá

Grandes nomes do carnaval carioca participaram da produção Por Marta Almei...

 

Extras

fotos

propaganda yes

JoomShaper